Alianças de Casamento: Quando a aliança de noivado se tornou costume

Alianças de Casamento: Quando a aliança de noivado se tornou costume

Olá seja bem-vindo(a) de volta ao nosso blog, hoje vamos falar sobre como as alianças se transformaram em um símbolo tão tradicional para firmar a relação entre casais, principalmente dentro de religiões cristãs.

Já ouviu falar em Papa Nicolau I? Não, não estou me referindo ao primeiro exame de Papanicolau realizado afim de detectar tumores cancerígenos precocemente em partes íntimas e colo do útero de mulheres do tempo moderno, este exame tem este nome porque foi uma homenagem ao seu criador Geórgios Papanicolau. Estou falando de Papa Nicolau I, ou, Nicolas Collona.

Este foi papa da igreja Católica Apostólica Romana entre abril de 858 e novembro de 867 (ano de sua morte). Certo agora que sabemos de qual Papa Nicolau estamos falando, vamos deixar claro qual o papel dele neste símbolo do casamento que utilizamos até hoje, as famosas alianças de casamento!

O Papa Nicolau I, conhecido hoje na igreja católica como “São Nicolau I Magno”, esteve à frente de um dos papados mais importantes e notáveis do início da idade média, e porque ele é considerado tão importante é simples, primeiro porque há documentos que compravam que foi ele quem consolidou de uma vez por todas a autoridade papal perante a igreja, reivindicou para si o poder maior dentro da religião, se tornando o responsável por governar, direcionar e subordinar a todos os outros dentro da Igreja Católica Apostólica Romana, poder este que até hoje ainda é exercício por aquele que aceita, ou melhor, é escolhido para a função.

Foi o Papa Nicolau I que instituiu que todos aqueles que pretendiam casar-se, deveriam expor publicamente suas intenções, e considerando tudo aquilo que já dissemos sobre a história da origem das alianças, este símbolo foi passado de cultura por cultura até chegar até aos romanos, ou seja, na Roma antiga já utilizavam a aliança como símbolo do casamento, porém o Papa achava por bem os casais firmarem compromisso, antes mesmo de se casarem, para que toda sociedade passasse a respeitar, principalmente a noiva. Porque assim ela estaria resguardada visualmente para àquelas que pudessem vir a tenta-la de alguma maneira. O respeito pela mulher se tornaria maior, e a proibição de se aproximar para cortejá-la ficaria explícita em sua mão. Como já dissemos no primeiro post desta série também, a mão esquerda já era utilizada para receber o anel deste compromisso, por vários motivos como já falamos, sendo assim o Papa Nicolau I institui que a aliança de noivado deveria ser colocada na mão direita da noiva, para ser trocada de mãos (da direita para a esquerda) afim de afirmar o compromisso eterno perante toda sociedade e principalmente perante Deus.

Quando instituído isto pela própria igreja como compromisso firmado, passamos para outra etapa da história. Pois se as mulheres precisavam (obrigatoriamente) expor este comprometimento elas não poderiam fazê-lo de uma maneira discreta, começou então uma luta de vaidades, onde os mais poderosos cada vez mais queriam mostrar sua riqueza e poder através das mãos de suas amadas.

E aqui fica a deixa para nosso próximo post, onde vamos falar da transformação de um símbolo de amor e compromisso eterno em uma joia para afagar a vaidade e satisfazer o enlace entre os amantes.

 

Leia também:
– Alianças de Casamento: A Origem das Alianças
– Alianças de Casamento: Significado de aliança para os cristãos
– Alianças de Casamento: Como a aliança se tornou uma joia
– Alianças de Casamento: Significado das pedras preciosas mais usadas

 

Curta nossa pagina no facebook e confira nosso Instagram !

Procura alianças de casamento ? Acesse nossa loja online clicando AQUI

Alianças de Casamento: Significado de aliança para os cristãos

Alianças de Casamento: Significado de aliança para os cristãos

Olá seja bem-vindo(a) novamente ao nosso blog, dando continuidade a sequência de textos explicando a origem da utilização das tradicionais alianças de casamento, vamos falar hoje sobre como esta tradição chegou ao cristianismo com tanta veemência.

Antes de começarmos a falar sobre o objeto aliança, essa de ouro ou prata que conhecemos, precisamos entender como os cristãos aceitaram com tanta facilidade a aquisição de um símbolo como este, proveniente de um povo pagão (os egípcios), como símbolo fundamental de um dos seus principais sacramentos. Este termo (sacramento) é utilizado por quase todas religiões cristãs, como sendo uma das mais belas heranças deixadas por Jesus Cristo durante sua passagem na terra, alguns estudiosos em teologia classificam a palavra “sacramento” como atos ou sinais que estimulam a fé.

Para entender como os cristãos adotaram o objeto aliança de casamento como símbolo, precisamos compreender como estas mesmas pessoas entendem o termo aliança e qual o significado desta palavra para o “povo de Deus”. Viajando para um pouco antes do nascimento de Jesus Cristo, e para alguns milhares de anos antes da igreja adotar este símbolo, chegamos ao ano de 1.300 a.C., que é a data onde o livro do Êxodo menciona pela primeira vez a “Arca da Aliança”. Este nome foi dado a um baú revestido de ouro por dentro e por fora, com dois querubins curvando-se a própria presença de Deus naquele objeto, que foi criado segundo orientações de Moisés, que segundo ele foi solicitado pelo próprio Deus para guardar as tábuas dos mandamentos sagrados e outros objetos sacros, além de servir como meio de comunicação direta entre Deus e seu povo.

Após este relato percebemos que segundo a bíblia dos cristãos, o termo “aliança” foi utilizado para representar a relação entre Deus e seus filhos, chamada de a arca da aliança, por conter ali naquele objeto o compromisso eterno, inquebrável e que se perdura por milhares e milhares de anos e assim será por toda eternidade segundo o mesmo livro. Nestes termos compreendemos então que aliança é um tipo de relação bem mais longa e duradoura que um simples “contrato”. Certo, já que entramos nesta questão vamos entender então a diferença entre contrato e aliança.

Contrato: relação baseada em desconfiança, onde ficam definidos em cláusulas e termos, os deveres e direitos atribuídos a cada uma das partes, sendo punido de alguma maneira aquele que por ventura quebrar algum destes termos.

Aliança: relação de ligação, totalmente baseada em confiança recíproca, onde não há direitos e deveres individuais, mas sim ações que tragam bem estar e/ou benefícios a todos envolvidos neste tipo de relacionamento.

Ok, agora que vocês entenderam o quão importante é o termo aliança para o povo cristão, ficará mais fácil compreender porque todos que creem em Deus e em seu filho Jesus Cristo utilizam com tanta alegria as suas alianças de noivado ou alianças de casamento.

No nosso próximo post explicamos como as alianças foram inseridas de maneira definitiva na igreja católica e depois passada como tradição para outras religiões cristãs.

 

Leia também:
– Alianças de Casamento: A Origem das Alianças
– Alianças de Casamento: Quando a aliança de noivado se tornou costume
– Alianças de Casamento: Como a aliança se tornou uma joia
– Alianças de Casamento: Significado das pedras preciosas mais usadas

 

Curta nossa pagina no facebook e confira nosso Instagram !

Procura alianças de casamento ? Acesse nossa loja online clicando AQUI

Alianças de Casamento: A origem das alianças

Alianças de Casamento: A origem das alianças

Olá seja bem-vindo(a) a mais este post em nosso blog, vamos começar hoje uma série de textos tentando explicar para vocês porque alianças de ouro é um tipo de produto tão emblemático para casais cristãos em sua união afetiva e qual a origem desta tradição.

Antes de começarmos a falar sobre as alianças de casamento da forma que conhecemos hoje, precisamos entender como começou este costume e o que mudou nestes milhares de anos.

Bom vamos iniciar tentando mostrar a vocês que a utilização de alianças para simbolizar a ligação entre pessoas não é algo recente, mas sim, algo bem antigo e que tem suas raízes em culturas como Antigo Egito, Grécia e Roma a pouco mais de 3.000 a.C.  do que se têm relatos.

Com base no material publicado por estudiosos e historiadores os egípcios acreditavam muito em simbologia, e daí a origem desta tradição, “reza a lenda” que os egípcios elegeram este anel como símbolo da união entre os casais, pelo fato de ser um objeto circular (sem início e nem fim) que representa o amor eterno entre o casal. Até está época não se tem conhecimento de qual dos dedos eram utilizados as alianças de casamento entre os egípcios.

Ainda com base nestes antigos contos e relatos no ano de 3 a.C.  Alexandre o Grande, dominou todo território egípcio e como sempre ocorrem em grandes colonizações, tanto o povo que está conquistando (Gregos) traz consigo tradições e culturas, o povo dominado (Egípcios) os ensina como lidar com as crenças e culturas do povo local. E uma das tradições que possivelmente foi implementada na Grécia pelos egípcios foi a utilização deste tipo de anel (aliança de casamento) nas uniões entre casais.

Mas como toda história “mal contada” ou melhor “mal documentada”, existem outras fontes que dizem ao diferente do que falamos agora. Alguns historiadores defendem a tese de que na Grécia a utilização de joias e outros tipos de paramentos, eram sinais de poder, fortuna e conquistas. Dando ênfase às alianças de casamento às vezes eram utilizadas por estes poderosos não só como símbolos de união, mas também como chaves aos aposentos que guardavam suas riquezas, e para selar um compromisso com a mulher amada, estes senhores lhes davam uma cópia desta “chave”, no qual ficavam com sigo durante toda vida. Não se sabe qual é realmente a história verdadeira ou correta, mas a maioria dos relatos levam a crer que a mais plausível é a herança da tradição egípcia que foi alterada com o passar dos anos afim de ser incorporada as tradições dos gregos.

Da mesma maneira que aconteceu com a relação desta tradição entre Egípcios e Gregos, acredita-se que a utilização de alianças de casamento foi inserida em Roma, após o império romano conquistar a Grécia. E da mesma maneira como vimos alguns detalhes foram modificados nesta tradição pelos romanos, como por exemplo, a definição do quarto dedo da mão-esquerda para utilizá-la. Nesta época eles forjavam as alianças em ferro, que depois eram imantados. A escolha do quarto dedo da mão esquerda não foi ao acaso, mas sim pelo fato deste povo acreditar que existia uma veia que iria desde este dedo até o coração, a chamada “veia d’amore”, assim o ferro imantado manteria os corações apaixonados atraídos por toda vida.

Bem agora que entendemos onde começou… nos próximos posts vamos discorrer mais sobre esta bela história.

 

Leia também:
– Alianças de Casamento: Significado de aliança para os cristãos
– Alianças de Casamento: Quando a aliança de noivado se tornou costume
– Alianças de Casamento: Como a aliança se tornou uma joia
– Alianças de Casamento: Significado das pedras preciosas mais usadas

 

Curta nossa pagina no facebook e confira nosso Instagram !

Procura alianças de casamento ? Acesse nossa loja online clicando AQUI

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.