As maiores histórias de amor da literatura

As maiores histórias de amor da literatura

Se você é uma pessoa romântica e adora ler, hoje nós vamos fazer um post dedicado às grandes histórias de amor do mundo da literatura. Mas antes, uma super dica: Se você ainda não se aventurou na atividade da leitura, não perca mais tempo! Com um livro, você pode viver muitas histórias mágicas sem precisar sair de sua casa. Mais do que as artes audiovisuais, a leitura estimula a nossa imaginação e nós criamos toda a ilustração do enredo em nossa mente. Quanto mais lemos, mais fácil fica e depois, quando menos percebemos, estamos apaixonados. Então não deixe de experimentar! Super dica da WM Joias para vocês 🙂

O Corcunda de Notre Dame (1931) – Victor Hugo

Engana-se quem pensa que essa história foi criada pela Disney. O enredo, de fato, se parece muito com o do desenho animado, no entanto, o livro de Victor Hugo é para adultos e foca bastante nas questões sociais vividas em Paris em 1400. A figura central da obra é Quasímodo, um homem deformado, adotado por Claudio Frollo, o arcediago da Catedral. Após conhecer a cigana Esmeralda, o corcunda passa por diversas experiências arriscadas para impressionar a moça, que não lhe corresponde o sentimento na mesma medida. Na obra de Victor Hugo, Esmeralda pode ser considerada uma criatura de beleza suprema, quase uma deusa. Frollo também se apaixona pela mulher, disputando-a com Quasímodo. Neste aspecto, o romance apresenta dois tipos diferentes de amor. Enquanto o religioso nutre uma enorme paixão por Esmeralda, desejando-a sexualmente, Quasímodo ama a cigana de outra forma. Tem um grande sentimento de carinho pela mulher e busca estar sempre próximo para ajudá-la.

Fonte: https://www.infoescola.com/livros/o-corcunda-de-notre-dame/

Orgulho e Preconceito (1813) – Jane Austen

Muita gente conhece essa história pelas telonas, filme que ganhou sucesso em 2005 sob a direção de Joe Wright. Também teve história parecida nas telinhas, já que a TV Globo, recentemente, exibiu uma novela inspirada na narrativa de Austen, a “Orgulho e Paixão”, transmitida as 18h. A história se passa em uma zona rural da Inglaterra durante o início do século XIX. Elizabeth Bennet, a segunda filha mais velha, será a protagonista da trama. Uma jovem bela, orgulhosa, de personalidade forte e vanguardista para o seu tempo, Lizzie, como é chamada pelos íntimos, carrega dentro de si inquietações com as convenções sociais do seu tempo. Sua mãe, ao assistir as opiniões e atitudes da filha, a considera um caso perdido em relação a possibilidade de conseguir um casamento. A trama do romance se desenrola com a chegada de dois jovem solteiros afortunados na região (Mr.Bingley e Mr.Darcy). A mãe das meninas vê no surgimento dos rapazes uma oportunidade para resolver os problemas da família.

Fonte: https://www.culturagenial.com/orgulho-e-preconceito-jane-austen/

O Amor nos Tempos do Cólera (1985) – Gabriel García Márquez

Muito embora o livro de maior sucesso de Gabriel García Márquez seja Cem anos de Solidão (que aliás, vai virar série na Netflix), o autor já deu depoimentos dizendo que o seu melhor romance é “O Amor nos Tempos do Cólera”. O livro conta a história do amor não realizado do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza, uma respeitável donzela de família. Por conta do seu ofício “principal”, e a consequente necessidade de entregar telegramas e cartas, o protagonista da trama acaba por ter contato com a família da moça. Daí, nasce uma paixão febril que ainda será mantida no anonimato por algum tempo. Lorenzo, o pai, descobre o idílio e envia sua filha a uma viagem de um ano, na tentativa de fazê-la se esquecer de Florentino. Uma curiosidade: o autor se inspirou na história de amor dos próprios pais para escrever essa obra.

Fonte: http://sociedadedolivrorp.blogspot.com/2014/09/resenha-o-amor-nos-tempos-do-colera.html

Adicionar um comentário


Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.