Para que serve o banho de ródio?

Para que serve o banho de ródio?

O cuidado com a aliança de noivado, de casamento ou com qualquer outra joia é essencial para manter os itens sempre bonitos. Uma boa compra é importante, mas também se deve se atentar a conservação. Entre as etapas de preservação, está o banho de ródio.

Esse procedimento é bem simples, mas garante ótimos resultados. Realizado no momento adequado, oferece um diferencial para as suas peças e grandes benefícios.

A seguir, entenda a função do banho de ródio e saiba o que ele pode trazer para as suas peças!

Afinal, o que é esse processo?

O banho de ródio é um processo que reveste joias e semijoias com esse ródio. Alianças, especialmente, passam por essa fase, já que são usadas diariamente e com a intenção de durar um período maior.

O ródio é um metal capaz de refletir a luz com intensidade. Ele é prateado, brilhante e extremamente resistente. Em relação à prata, por exemplo, consegue manter suas características por mais tempo e com menos manutenção.

Quais as vantagens de realizar o banho de ródio?

Feita em um estabelecimento de confiança, a etapa é muito vantajosa para peças de diferentes tipos. Ele serve tanto para as de prata quanto para as de ouro branco. A seguir, veja quais são os maiores benefícios do processo!

Grande resistência a diversas condições

Ao contrário de outros metais prateados, o ródio é capaz de encarar as principais condições da atmosfera. Também consegue lidar bem com alguns ácidos e situações rotineiras, como o suor. Com isso, oferece muita resistência aliada à versatilidade, já que “funciona” com vários materiais.

Visual bonito por mais tempo

Como aumenta a resistência das peças, o banho de ródio também é essencial para o visual. Graças a ele, a aliança (ou qualquer outra joia) fica como nova por um período maior. Com a aparência de destaque, há mais satisfação.

Manutenção da joia

O procedimento também ajuda a proteger a joia de riscos leves e de “ataques” que podem levar ao descascamento. Desse jeito, dá para garantir que o item possa ser utilizado por muito mais tempo. Dá para se preocupar menos com a manutenção enquanto a camada do metal estiver lá.

Quando vale a pena fazê-lo?

O banho de ródio oferece diversas características, mas não é eterno. Para as peças usadas com muita frequência, ele precisa ser renovado a cada 1 ou 2 anos. Alianças, especialmente, têm maior desgaste e necessidade de renovação.

Por causa dessa repetição, é comum deixar o processo apenas para peças realmente especiais. Quanto mais grossa for a espessura do banho, mais extensa é a durabilidade.

Também vale a pena considerar joias de alta qualidade. Ao escolher um produto com a composição certa, a aparência fica adequada por um tempo maior. Assim, é fácil manter e obter ótimos resultados.

Como vimos, o banho de ródio serve tanto para proteger a joia, quanto para garantir um visual bonito. Quando realizado em um local de confiança, poderá deixar alianças e joias prateadas ainda mais bonitas!

Gostou das dicas? Procura o anel dos sonhos? Se quiser acertar na escolha, veja 7 modelos de aliança e descubra qual é o ideal para você!

O que não fazer em uma cerimônia religiosa?

O que não fazer em uma cerimônia religiosa?

É comum querer que o seu casamento seja único e especial. Assim, é possível que você queira criar algo que fuja do tradicional, com diversos elementos únicos. No entanto, se você deseja fazer uma cerimônia religiosa, precisa considerar que nem tudo que talvez tenha em mente será permitido.

Embora algumas pessoas desconheçam, existem algumas regras que devem ser respeitadas se você deseja se casar em uma igreja. Para evitar cometer uma gafe, continue lendo e descubra o que não fazer em uma cerimônia religiosa. Confira!

Não exagere na decoração

Ainda que você tenha conseguido uma autorização para decorar a igreja, isso não quer dizer que você possa exagerar e fazer qualquer coisa que sua criatividade mandar. Tudo bem ornamentá-la com flores e laços, mas não poderá mudar a disposição dos móveis ou mexer no altar, por exemplo.

Evite ainda ornamentos muito exagerados e de gosto duvidoso, como itens que possam ofender os princípios da religião praticada naquele local. Ainda que você e seu noivo sejam pessoas descontraídas, é melhor deixar as brincadeiras para a hora da recepção.

Tome cuidado com os trajes

Essa regra vale tanto para os noivos quanto para os convidados de uma cerimônia religiosa. Seja católica ou de outra modalidade cristã, a igreja não é lugar para usar roupas exageradamente provocantes. Se você é uma convidada, evite os decotes muito profundos e as transparências. Os homens não devem comparecer de camisetas e bermudas, ainda que o casamento seja na praia.

Se você é a noiva, é bom optar por um vestido que permita que você se movimente com elegância. Saias muito curtas ou decotes que se movem demais não são ideais. Evite ainda o uso de cores muito intensas, como rosa choque e vermelho, por exemplo.

O mesmo serve para o noivo. Ele até pode ousar com uma camisa diferente ou com um tênis no lugar do sapato social. Entretanto, as regatas, os ternos escandalosos e bermudas devem ser evitados. É importante que exista harmonia entre as roupas do casal.

Evite músicas inapropriadas na cerimônia religiosa

Vocês podem ser irreverentes e amar um bom rock pesado ou as baladas com letras ousadas. Mas pode não ser nada interessante colocar esse tipo de música em um casamento religioso. Para esse momento, selecione aquelas canções que não tragam letras ofensivas e ritmos muito agressivos.

Lembre-se de que, por mais que seja seu estilo preferido, é importante respeitar o ambiente em que será realizado o casamento. Se estiver com dúvidas, pergunte ao responsável pelo local se as músicas que você deseja colocar são apropriadas.

Seja atencioso com os votos

Tudo bem querer colocar nos votos os fatos que marcaram o relacionamento, piadas que só vocês vão entender e algumas brincadeirinhas para descontrair. Mas tudo isso deve ser feito com respeito e carinho.

Lembre-se que sua família e amigos ouvirão tudo. Por isso, não comente sobre eventuais situações constrangedoras — e deixe os comentários picantes para outra ocasião.

Para não errar em uma cerimônia religiosa, use o bom senso. Evite roupas exageradamente sensuais, luzes coloridas e músicas com letras que possam ofender os princípios da religião. Na hora de fazer os votos, lembre-se de que é a hora de compartilhar o amor e receber uma bênção. Por isso, deixe as piadinhas picantes para fazer depois — na festa de casamento, por exemplo.

Ao decorar a igreja, não mude a disposição dos móveis e bancos, a menos que esteja autorizado pelo administrador do local. Por fim, evite as cores e elementos que possam criar situações embaraçosas dentro da cerimônia religiosa.

E então? Pronta para arrasar no casamento na igreja? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a evitarem situações desconfortáveis como as descritas no texto.

Votos matrimoniais: como escrever?

Votos matrimoniais: como escrever?

O momento dos votos matrimoniais e troca de alianças é tradicionalmente um dos últimos atos da cerimônia de casamento — e dos mais emocionantes. É nessa hora que os casais apaixonados trocam juras de amor e promessas para serem cumpridas no decorrer da vida a dois.

Por esse motivo, muitas pessoas encontram dificuldades em escrevê-los. Afinal, pode ser que as palavras não pareçam boas o bastante para expressar tanto sentimento lindo!

Se isso está acontecendo com você, não se preocupe. Nesse post reunimos algumas dicas infalíveis para ajudar a escrever seus votos. Quer saber como? Aproveite o texto a seguir.

Entenda o que são os votos matrimoniais

Embora não sejam obrigatórios, muita gente deseja realizar os votos para o casamento. É neles que o casal costuma resumir os pontos mais importantes da sua história e reafirmar para a posteridade o quanto um representa na vida do outro.

Pode ter certeza que as filmagens vão garantir que o momento seja eternizado. E talvez seja esse um dos motivos de haver tanta tensão na hora de redigi-los!

Você pode escrever seus votos em conjunto com o seu parceiro ou individualmente. O importante é que expressem os seus sentimentos com relação ao seu par e o relacionamento de vocês.

Quanto mais pessoais e verdadeiros forem os votos matrimoniais, mais o momento terá potencial para render muitas lágrimas — e até algumas risadas.

Escreva de maneira concisa

Cada história é única e cheia de sentimentos. Por isso, você pode se sentir tentado a passar horas escrevendo sobre cada detalhe do relacionamento e todos os momentos especiais que viveram juntos até ali. No entanto, lembre-se de que a cerimônia de casamento passa por várias etapas. Votos longos demais e com muitos detalhes podem cansar seus convidados.

Depois de um tempo, a atenção das pessoas se dispersa, e acaba a emoção. Por isso, escreva com intensidade, mas seja conciso. Os votos mais emocionantes conseguem resumir a trajetória do casal de maneira envolvente e em poucas palavras.

Descubra por onde começar

Muitas pessoas têm dificuldades em começar a escrever os votos matrimoniais. Mas aqui vai uma dica: em primeiro lugar, não tenha pressa. Contar como vocês se conheceram, suas primeiras impressões e o momento do pedido de casamento, por exemplo, são boas maneiras de iniciar os escritos.

Vá fazendo rascunhos e acrescentando ideias, até chegar à versão final. Separe um momento tranquilo para escrever, de preferência em um final de semana. Ou quando estiver menos atarefado. Se você tem dificuldades em se abrir com a escrita, não deixe para fazer na última hora. A ansiedade vai atrapalhar o momento de criação e registro.

Aposte em poesias e canções

Se você tem realmente muita dificuldade de organizar ideias no papel, recorrer a um poema ou uma música pode ser uma boa proposta para seus votos matrimoniais. Pode ser uma letra que marcou algum momento importante, uma poesia que reflita seus sentimentos ou até mesmo um trecho de livro. Então, acrescente algumas palavras pessoais.

O legal desse modelo de voto é que seu parceiro vai lembrar desse momento do casamento sempre que ouvir a música ou ler a poesia em algum lugar.

Lembre-se de que, quanto mais autêntico, melhor. Então, mesmo que esteja usando palavras escritas por outras pessoas, procure dar seu toque pessoal. Vale até mesmo fazer pequenas brincadeiras, como trocadilhos e jogos de palavras.

Ao final, o importante é que seus votos matrimoniais venham do coração! Não tenha medo de parecer melosa demais, ou que suas palavras pareçam simples. Se você declarar seus votos com sentimento e verdade, com certeza emocionará seu parceiro e a todos.

E você? Já escreveu o seu voto para as bodas? Siga nossa página no Facebook e veja mais dicas para casamento, festas e adereços.

História do Dia dos Namorados

História do Dia dos Namorados

O dia dos namorados está chegando e todos nós estamos morrendo de vontade de comemorar, não é mesmo?! Quem já tem um mozão não vê a hora de passar o dia juntinho, trocar presentes e viver momentos especiais. E quem ainda não tem está doido pra arrumar alguém pra chamar de seu e ter um dia incrível em 12 de junho. Mas você sabe de onde veio essa tradição?

Aqui no Brasil, como já falamos ali em cima, comemoramos o Dia dos Namorados no dia 12 de junho, data que faz referência ao frei português Fernando de Bulhões, mais conhecido entre nós como Santo Antônio. Esse frei ficou famoso por suas pregações sobre o amor e o casamento, o que o fez ganhar a fama de “santo casamenteiro” depois de sua canonização. O dia de Santo Antônio, na verdade, é dia 13 de junho, então os brasileiros comemoram o Dia dos Namorados na véspera dessa data.

Aqui, o costume para a data é a troca de presentes e cartões entre os casais de namorados. Ainda não sabe o que dar para o seu amor? Que tal dar uma conferida na Loja Online da WM Joias? Trabalhamos com produção e fornecimento de joias há mais de trinta anos! Temos um catálogo enorme, com diversos tipos de joias, como anéis, pingentes, correntes e brincos, e alianças – de namoro, noivado e casamento -, com certeza lá você encontrará algo que vai agradar a você, seu amor e ao seu bolso!

Mas a tradição do Dia dos Namorados não começou no Brasil. Uma das histórias contadas sobre a origem dessa celebração remete à Roma Antiga, ainda antes do nascimento de Jesus, em 270 a.C.. Segundo a lenda, o imperador Claudius II proibiu que os jovens se casassem. Seu objetivo era fazer com que o número de homens casados diminuísse e, consequentemente, aumentasse o contingente de soldados de seus exércitos. Mas nem todo mundo ficou feliz com essa decisão: um bispo chamado Valentinus, em um ato de rebeldia, se dispôs a celebrar os casamentos às escondidas, desafiando a autoridade do rei. Valentinus foi descoberto, preso e condenado à morte por decaptação, mas, antes de sua execução, apaixonou-se pela filha do carcereiro, uma moça cega. De acordo com a lenda, um milagre fez com que o bispo recuperasse a visão de sua amada, o que permitiu que ela lesse a carta que ele lhe deixou antes de sua morte. Na carta, dizia “from your Valentine”, que significa “do seu Valentinus”. É dessa história que vem a comemoração do Valentine’s Day, nos Estados Unidos, no dia 14 de fevereiro. Esse dia também é celebrado em diversos países da Europa na mesma data em que se comemora nos EUA.

Agora que você já sabe um pouquinho mais sobre a origem do Dia dos Namorados, já pode se preparar para comemorar essa data não só bem acompanhada(o), mas também bem informada(o)! Ah, e claro, não se esqueça de entrar em nossa Loja Online para escolher os melhores presentes para homenagear o seu amor!

Até a próxima, pessoal!

Qual o número de padrinhos e madrinhas indicado?

Qual o número de padrinhos e madrinhas indicado?

Quem nunca prometeu a uma amiga que ela seria a madrinha do seu casamento, não é mesmo? Afinal, geralmente os convidados para essa função são amigos bem próximos e que conviveram diariamente com o casal.

Por esse motivo, na hora de organizar a festa, pode ser que você se depare com um grande número de pessoas para convidar. Mas, afinal, qual o número de padrinhos e madrinhas ideal? Nesse post apresentamos vários fatores para levar em consideração. Continue lendo e descubra!

Considere a lista de convidados

Por mais que você queira sair convidando todos os seus amigos como padrinhos e madrinhas, é importante ter em mente o número de pessoas que vai convidar para festa.

Isso porque, se o casamento for pequeno, convidar todos os seus amigos para essa função pode ficar desproporcional. Imagine um mini-wedding, em que há 20 pessoas no altar, e apenas 10 estarão nos bancos de convidados?

Da mesma forma, se o evento for realizado para muitas pessoas, convidar apenas um ou dois casais como padrinhos e madrinhas pode ficar igualmente estranho.

Para facilitar, você pode pautar o número de padrinhos e madrinhas entre 8% e 12% da lista de convidados. Assim, se você convidar 100 pessoas para o seu casamento, haveria de quatro a seis casais com aquela função.

Pense no espaço físico para os padrinhos e madrinhas

O espaço disponível no altar é um ponto importante. Se for pequeno demais para o número de pessoas que pretende colocar lá, vai parecer uma bagunça nas fotos. Além de deixar seus convidados espremidos e desconfortáveis ao longo da cerimônia.

Por isso, você precisa se certificar de que todos os padrinhos e madrinhas ficarão posicionados adequadamente.

Acerte o número mínimo de padrinhos

É comum que você fique focado em convidar muitas pessoas, mas já parou para pensar qual o número mínimo de padrinhos? Isso é muito importante para casais que desejam uma cerimônia bem íntima ou só vão se casar no civil.

A cerimônia em cartório exige duas testemunhas. Por isso, o número mínimo de padrinhos é sempre dois. Pode ser um casal, ou não. Isso vai ficar a seu critério.

Entenda o que dita a tradição

Se você é adepta das tradições e quer um casamento como manda as regras de etiqueta, saiba que existe um número ideal de padrinhos e madrinhas para isso também. Segundo esses manuais, determina-se um número de 5 casais, ou 10 pessoas.

Se você não quer arriscar, esse é o número ideal. Independentemente do número de convidados, com 5 casais não tem como errar! Posicione os casais escolhidos pelo noivo de um lado; e os seus, do outro. O resultado é clássico e harmônico.

Pense no tempo de duração da cerimônia

Ao escolher a quantidade de padrinhos, você precisa também pensar na duração da festa. Quanto mais pessoas a participar, mais demorado será o evento, certo? Lembre-se de que todos vão precisar entrar e sair, assinar o livro e tirar fotos. Um número excessivo de pessoas pode deixar a cerimônia mais cansativa.

Não há regras engessadas para a escolha dos padrinhos e madrinhas. É o seu casamento, e você pode convidar quantas pessoas quiser. Entretanto, é interessante ter cautela para não criar tumulto e prejudicar o evento. Procure convidar um número de padrinhos que seja proporcional à lista de convidados. Se estiver com dúvidas, aposte naquela ideia dos cinco casais. Assim, não tem como errar!

Já escolheu os seus padrinhos? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude outras noivas nessa missão.

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.