Como surgiu o anel de noivado?

Como surgiu o anel de noivado?

Pedir alguém em casamento com um anel de noivado em mãos não é apenas uma cena dos filmes mais românticos. Trata-se, na verdade, de um dos costumes mais tradicionais quando o assunto é casamento.

Para ter uma ideia, em 3.000 a.C os egípcios e hindus já usavam anéis para simbolizar compromissos. Porém, essa ideia veio se modernizando e se adaptando ao contexto do casamento.

Quer saber como surgiu essa tradição? Então, acompanhe o nosso post e fique por dentro dessa história!

Uma tradição das famílias reais

Como já mencionado, o costume de oferecer um anel juntamente ao pedido de casamento é algo bastante tradicional. A história diz que o anel de noivado surgiu há mais de 500 anos e era uma exclusividade das mulheres pertencentes às famílias reais.

A prática, porém, data de muito antes do surgimento da realeza. Segundo certos historiadores, a ideia apareceu mesmo com os egípcios da Idade Antiga. Mas a prática de trocar anéis também era comum entre os gregos e romanos apaixonados, há poucos séculos antes de Cristo.

No Egito, eram os homens que utilizavam os anéis como símbolo de sua riqueza. Portanto, ao se casarem, presenteavam a noiva com um de seus anéis, de modo que essa riqueza fosse, então, estendida à sua amada.

O anel de noivado na cultura ocidental

A Igreja Católica reconheceu a importância do anel de noivado por volta do século XI. Mas a incorporação à cerimônia de casamento veio apenas após o século XVI. Antigamente, não era comum o anel de noivado vir cravejado de pedras. Costumava ser liso e sem muita ostentação.

O primeiro registro de um anel de noivado de diamantes aconteceu na Áustria, em 1477, quando o arquiduque Maximiliano pediu a Condessa de Borgonha (chamada Maria) em casamento. Por isso, os diamantes formavam a letra “M”.

A tradição em outros países

Embora pareça um pouco absurdo para os brasileiros, em alguns lugares do mundo o anel de noivado deve ter seu valor uma ou duas vezes mais alto do que o salário do noivo.

Não é uma tradição tão moderna, mas entre as famílias mais tradicionais dos Estados Unidos e em alguns países da Europa esse costume ainda prevalece.

O surgimento do anel solitário

O modelo mais conhecido entre os anéis de noivado é o solitário. Ele surgiu em 1866, por incentivo da joalheria Tiffany & Co., que lançou o modelo agora imortalizado. O anel solitário contém seis garras que dão destaque à pedra (normalmente um diamante). É até hoje um dos modelos mais procurados por noivos e noivas, em todo o mundo e nas mais diferentes joalherias.

Hoje em dia, as pedras do anel podem ser coloridas e até mesmo formar desenhos, como um coração. Outra curiosidade é que as famílias nobres europeias costumam usar a safira azul como pedra de destaque em anéis de noivado desde o século XIX.

Como vimos, essa é uma tradição muito antiga e recheada de simbologia. Entre elas, a de que o anel deve ser usado no quarto dedo da mão esquerda, o que significaria estar mais próximo ao coração do seu amado.

Agora que você já sabe exatamente como surgiu o anel de noivado e algumas curiosidades sobre essa joia, é hora de escolher o seu, não acha? Acesse o nosso site e confira as diversas opções para um pedido inesquecível!

Adicionar um comentário


Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.